quarta-feira, 30 de junho de 2010

Krzysztof Kieslowski













Ainda está por se fazer um estudo cuidadoso da obra de Krzystof Kieslowski. Apenas os últimos trabalhos deste realizador encontram-se divulgados no Brasil e com pouca chance de se apreciar uma vez que não se encontram distribuidos no circuito comercial. Em Salvador, se não me engano, a única possibilidade de locação das cópias em DVD dos trabalhos mais recentes, A dupla vida de Veronique (1991), A trilogia das cores ( 1993/94) e o Decálogo ( 1988) faz-se pela perseverança da Casa de Cinema ( Rio Vermelho). Provavelmente precisaríamos de um mapeamento mais apurado pelos programas de pós-graduação e centros de estudos para levantamentos dos trabalhos realizados sobre esta filmografia com a intenção de confrontá-los.

Enquanto aguardo a aquisição de trabalho localizado na PUC/SP e que o serviço Comut das bibliotecas funcionem, passo pela tabela construída a partir do arquivo do site sensesofcinema que registra, aproximadamente, quarenta filmes realizados num período de trinta anos de inteira dedicação até a exaustão ( Kieslowski morre em 1996, após vários pronunciamentos onde diz que após a Trilogia das Cores sente necessidade de sentar-se numa cadeira e fumar seus cigarros sem parar, quase que revelando a necessidade de trégua na sua intensa criação produtiva).

FILMOGRAFIA (1966/1994)


1966 The Face
1966 The Office (Urzad)
1966 The Tram (Tramwaj)
1967 Concert of Wishes (Koncert zyczen)
1968 From the City of Lódz (Z miasta Lódzi)
1968 The Photograph (Zdjecie)
1970 I Was a Soldier (Bylem zolnierzem)
1971 Workers '71: Nothing About Us Without Us (Robotnicy '71: Nic o nas bez nas)
1971 Before the Rally (Przed rajdem)
1972 Factory (Fabryka)
1972 Refrain (Refren)
1972 The Principles of Safety and Hygiene in a Copper Mine (Podstawy BHP kopalni miedzi)
1972 Between Wroclaw and Zielona Gora (Miedzy Wroclawiem a Zielona Gora)
1973 Pedestrian Subway (Przejscie podziemme)
1973 Bricklayer (Murarz)
1974 X-Ray (Przeswietlenie)
1974 First Love (Pierwsza milosc)
1975 Curriculum Vitae
1975 Personnel (Personel)
1976 Hospital (Szpital)
1976 Calm Before the Storm (Spokój)
1976 Slate (Klaps)
1976 The Scar (Blizna)
1977 I Don't Know (Nie wiem)
1978 From a Night Porter's Point of View (Z punktu widzenia nocnego portiera)
1978 Seven Women of Different Ages (Siedem kobiet w róznym wieku)
1979 Camera Buff (Amator)
1980 Talking Heads (Gadajace glowy)
1980 Railway Station (Dworzec)
1981 Short Working Day (Krótki dzien pracy)
1982 Blind Chance (Przypadek)
1985 No End (Bez konca)
1988 The Decalogue (Dekalog)
1988 A Short Film About Killing (Krótki film o zabijaniu)
1988 A Short Film About Love (Krótki film o milosci)
1990 City Life (segment)
1991 The Double Life of Véronique (La Double vie de Véronique)
1993 Three Colors: Blue (Trois colours: Bleu)
1994 Three Colors: White (Trois colours: Blanc)
1994 Three Colors: Red ( Trois colours: Rouge)


Fonte: http://archive.sensesofcinema.com/contents/directors/03/kieslowski.html

4 comentários:

Jonga Olivieri disse...

Mas fechou com chave de ouro, já que estamos a falar de cores!

Stela B. de Almeida disse...

São projetos complementares. Requerem perseverança e fôlego.

André Setaro disse...

Krzysztof Kieslowski pode ser considerado um dos maiores nomes do cinema mundial do último quartel do século passado. Um realizador que se utiliza do veículo cinematográfico para pensar a natureza do homem e o seu 'estar-no-mundo' heideggeriano.

A sua sensibilidade, no entanto, conduziu-o à morte prematura, pois veio a falacer aos 54 anos de um agudo enfarte do miocárdio.

Sua filmografia é muito rica e merecedora de grande pesquisa e reflexão.

Stela B. de Almeida disse...

Enquanto não se dispõe de apôios e incentivos, pesquisa custa caro, cabe-nos continuar em projetos auto-financiados e autônomos, no peito e na raça como diz uma grande amiga.
Enquanto isso, gostaria de sugerir que os Cursos de Cinema autônomos e independentes ( refiro-me a iniciativa sob a sua coordenação, Professor Setaro) continuassem com um público já esboçado ( qualitativo muito mais que quantitativo) mas que reune interesses pelo cinema enquanto reflexão. E mais ainda, no segundo semestre ( após setembro pois viajo) voltarmos as quartas de cinema pela trilogia "Encontros sobre cinema", trilha que envolve conhecimento e intercâmbios. Ou não?